PENSANDO O BRASIL: DESAFIOS DIANTE DAS ELEIÇÕES 2014

23/06/2014 15:19

A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil divulgou na sexta-feira, 9 de maio, durante entrevista coletiva, a mensagem "Pensando o Brasil: desafios diante das eleições 2014", aprovada pelos bispos do Brasil reunidos na 52ª Assembleia Geral, em Aparecida (SP). Atenderam a imprensa o arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis; o arcebispo de São Luís (MA) e vice-presidente, dom José Belisário; o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral, dom Leonardo Steiner. 

Na entrevista, cardeal Raymundo Damasceno Assis explicou que o texto "contém importantes reflexões para os cristãos e para toda a sociedade" que neste ano irão eleger presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e estaduais. "Com este texto, fazemos uma convocação aos brasileiros para que exerçam o voto de forma consciente", exortou.

Dom Damasceno destacou três pontos fundamentais do texto: participação consciente nas eleições; a necessidade de conhecer os candidatos, sua história, e quais princípios e valores eles praticam e defendem; buscar candidatos que tenham compromisso com tantas reformas necessárias no país, especialmente a Reforma Política, que tem apoio da CNBB e outras entidades.

Cf. site: http://www.cnbb.org.br/eventos-1/assembleia-geral-1/14205-cnbb-divulga-mensagem-pensando-o-brasil-desafios-diante-das-eleicoes-2014, acessado em 05 de dezembro de 2014, as 16: 42 minutos.

________________________________________________________________________________________________________________________________

ANO VOCACIONAL REDENTORISTA.

Queremos iniciar essa página com as palavras do nosso Vice Provincial Pe. Eridian Gonçalves, CSsR.

 

 

Por uma feliz iniciativa do GOVERNO GERAL, 2014 é o ANO VOCACIONAL. E a nossa barca vocacional está em pleno movimento. Com o entusiasmo do nosso remo e a força do ESPÍRITO, ela vai atracando em cada porto das nossas comunidades. E na arquidiocese de Fortaleza, depois de celebrarmos o ano da fé, iniciamos o ANO DA ESPERANÇA. No mundo sócio político, nada mais se fala senão na COPA DO MUNDO, que será realizada no Brasil. Parece que até o carnaval perdeu a sua força! Para completar, ANO DE ELEIÇÕES!  Enquanto isso, entramos para o 3º ano de SECA no Nordeste. E a estiagem parece se alastrar em outras regiões do país. Mas é neste mundo que atuamos é para esse mundo que somos chamados. Como disse o Santo Padre na sua encíclica EVANGELH0 DA ALEGRIA, por tudo e com tudo isso, “não deixemos que nos roubem a força missionária.” Cf.: Carta Circular Vice Provincial de Fortaleza

Segue-se as palavras do superior geral da CSsR. Dado que esse evento teve inicio na Quinta-Feira, 01 de agosto de 2013, na Igreja de Santo Afonso, no Rio de Janeiro,pelo Superior Geral da Congregação Redentorista, Pe. Michael Brehl, C.Ss.R. envia a você, que faz parte da família redentorista, uma mensagem sobre o Ano Vocacional na Congregação, que se inicia com a festa de Santo Afonso, no dia 1° de Agosto. Sendo assim abriu oficialmente o Ano de Promoção da Vocação Missionária Redentorista, o qual foi proclamado em abril. O Governo Geral encoraja cada Província, vice-Província, Região e Missões a iniciar esse Ano Vocacional no dia 1º. de Agosto, ou logo que vocês possam. [nota do tradutor: A Comissão Nacional da Juventude sugeriu que a abertura nas paróquias e comunidades no Brasil seja dia 04 de agosto – domingo]. Durante desse ano, nós urgimos que vocês planejem eventos, celebrações, orações, catequeses, dias de retiro da comunidade e outros meios criativos na promoção do Ano Vocacional.

 
Nesse momento o Secretariado Geral de Formação apresenta a vocês alguns elementos sobre o Ano de Promoção Vocação Missionária Redentorista: o logo, o tema, a oração e a triptych (capelinha). Esses elementos são sugestões do Governo Geral, mas cada Província, Vice-Província, Região ou Missão irão adaptá-las à situação particular onde se vive a Missão Redentorista.
 
Como testemunhas e Missionários da Redenção, nós rogamos a Deus para renovar a nossa vocação como indivíduos e especialmente como um corpo missionário (C. 2). Na tradição de St. Afonso, os grandes mistérios da redenção incluem: a Encarnação (humanidade infusa com a presença de Deus, cf. C. 19); a Paixão (compromisso e doação pelos outros em Jesus Cristo, cf. Cc. 48-50); e a Ressurreição (vida nova, presença permanente e transformação no Espírito, cf. C. 51, 56).
 
Como testemunhas, nós damos testemunho não somente para relembrar os grandes mistérios da nossa Redenção, mas também através do viver mais intensamente esses mistérios. Como missionários, nós convidamos outros a partilhar mais intensamente a Copiosa Redenção proclamada por Jesus o Redentor. 
 
Possa esse Ano Vocacional Redentorista inspirar todos nós - Confrades, Irmãs, Leigos Redentoristas e os Jovens – a uma profunda renovação da nossa identidade como Testemunhas e Missionários da Redenção. Com St. Afonso, possamos nós ‘seguir o exemplo de Jesus Cristo, o Redentor, pregando a Palavra de Deus aos pobres’ (C. 1) com paixão, criatividade, alegria e esperança.
 
Na festa do nosso fundador, St. Afonso, eu desejo a vocês muitas graças e bênçãos. Seu zelo apostólico, sua paixão por Jesus Cristo, e seu amor pelos mais abandonados e os pobres continue a nos dar esperança e coragem da missão nos dias de hoje. Abençoado e  alegre dia de festa a cada um de vocês.
 
Que a Mãe do Perpétuo Socorro e St. Afonso nos acompanhem durante todo esse ano de graça.

Cf.: http://juventuderedentorista.org.br/novidades/exibir/id/119/Ano-da-Promo%C3%A7%C3%A3o-Vocacional-Redentorista.html
 

 

 

FESTA DA DEDICAÇÃO DE SÃO JOÃO DE LATRÃO

FUNDAÇÃO DA CONGREGAÇÃO DO SANTÍSSIMO REDENTOR

Prezados Confrades, Irmãs, Missionários Leigos e Amigos,

1. Saudações de Roma! É com alegria e gratidão que vos escrevo ao celebramos o 281º Aniversário de Fundação de nossa Congregação, em 9 de novembro de 1732, em Scala. Na segunda leitura para a festa de hoje, lemos estas palavras de S. Paulo: "Eu, como bom arquiteto, lancei os alicerces conforme o dom que Deus me concedeu; outro constrói por cima do alicerce, Mas cada um veja como constrói! Ninguém pode colocar um alicerce diferente daquele que já foi posto: Jesus Cristo... Vocês não sabem que são templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês?... Pois o templo de Deus é santo, e esse templo são vocês." (1Cor 3,10-11.16.17b)

2. Essas palavras são muito apropriadas para a Festa de S. João de Latrão, mas também para celebrar a Fundação de nossa Congregação. Hoje, esta carta poderia vir para nós diretamente de Santo Afonso: nós que somos comunidade que partilha do carisma missionário a ele confiado, que agora está confiado a nós. Esse carisma antes e acima de tudo está confiado à comunidade. Nesse sentido, somos "templo de Deus", ou, como Sto. Afonso muitas vezes escreve em suas cartas, "Instituto de Deus". Trata-se de uma obra de Deus, e somos convidados a dela participar como comunidade, como "um corpo missionário" (Const. 2).

3. Juntos continuamos a formar hoje um só corpo missionário. Devemos, contudo, cuidar de construir "sobre um sólido alicerce": Jesus Cristo. Como um corpo missionário, a Congregação Redentorista e a família Redentorista espalha-se pelo mundo, proclamando o Evangelho sempre de novo e consagrando nossa vida pela copiosa redenção. Essa família Redentorista constrói-se pela dedicação dos Missionários Redentoristas professos, irmãos e padres. Desde o início as Irmãs do Santíssimo Redentor partilharam desse Espírito e carisma por uma vida de oração e de ‘viva memória’. Nos últimos 281 anos, esse ‘um só corpo missionário’ cresceu, passando a incluir Congregações de Irmãs e Irmãos que partilham dessa vocação missionária, Oblatos e Missionários Leigos do Santíssimo Redentor, como também muitas Associações Leigas, jovens e mulheres que colaboram conosco no ministério da Pastoral da Juventude.

 

4. Celebrar a Fundação da Congregação, neste Ano de Promoção da Vocação Missionária Redentorista, é uma ocasião especial de reflexão sobre nossa identidade missionária, aprofundando-a, e um convite a outros para que partilhem conosco dessa vocação extraordinária.

5. O Ano de Promoção da Vocação Missionária Redentorista tem dois objetivos específicos e importantes. Antes de mais nada, é um convite a cada Redentorista Missionário professo, para cada Irmã ou Irmão de uma comunidade religiosa afiliada, para cada Oblato, Missionário Leigo, Associado Leigo e Jovem Cooperador. Este ano é um convite a renovar e aprofundar nossa identidade missionária e vocação. Como Sto. Afonso e nossas Constituições relembram-nos, somos chamados a contínuo progresso pela constante renovação interior (Const. 40), pois ‘Toda a sua vida cotidiana deve ser marcada pela conversão do coração e constante renovação do espírito’ (Const. 41).

6. Estou convencido que, na medida em que aprofundamos e renovamos nossa identidade missionária, outros jovens hão de ouvir e de atender o chamado a doar sua vida pela copiosa redenção como Missionários Redentoristas professos. Mulheres e homens também ouvirão o chamado a partilhar essa vocação missionária como religiosos, missionários leigos e associados ligados à Família Redentorista mais ampla.

7. O segundo objetivo deste Ano de Promoção da Vocação Missionária Redentorista é estimular e atualizar uma consciência mais profunda que todos nós somos chamados a promover e acompanhar aqueles que Deus chama para nosso modo de vida. ‘Todos os confrades, portanto, na medida de sua estima e amor à própria vocação, dediquem-se ao apostolado de promover vocações para a Congregação’ (Const. 79). Diariamente devemos orar pelo aumento das vocações para a Congregação do Santíssimo Redentor e Congregações Religiosas afiliadas.

8. Devemos ir além de renovação e oração pelas vocações, e pessoalmente convidar e encorajar rapazes e moças a pensar num compromisso por toda a vida com o seguimento de Jesus Cristo Redentor, a serviço dos abandonados e dos pobres, pela profissão dos votos religiosos. ‘O próprio Espírito de Cristo suscita missionários na Igreja. Às mais das vezes serve-se de contatos e relacionamentos, que se estabelecem entre as pessoas...’ (Const. 80). Podemos encontrar maneiras criativas e envolventes para promover nossa vocação missionária, usando meios contemporâneos de comunicação social. Devemos superar nosso acanhamento e timidez quanto ao convite pessoal e acompanhamento. Temos de compreender mais plenamente os desafios da formação inicial intercultural.

9. Ainda uma vez, em nome do Conselho Geral, e agradecendo ao Secretariado Geral de Formação, peço que cada Província, Vice-Província, Região e Missão desenvolva meios concretos e práticos para renovar, aprofundar e promover nossa vocação missionária. Dirijo esse convite a cada comunidade e a cada confrade, bem como a toda a família Redentorista: todos somos chamados a renovar e aprofundar nossa identidade como ‘Testemunhas e Missionários de Redenção’. Cada um de nós é chamado a convidar outros

 

a partilhar conosco essa vocação. Não podemos deixar essa responsabilidade aos Promotores e Formadores ‘oficiais’ de vocações!

10. Um aspecto importante de nossa Vocação Missionária é o chamado para responder às necessidades dos abandonados e pobres onde quer que estejam. Como o Bom Pastor, os missionários Redentoristas procuram os perdidos, os marginalizados e os da periferia. Como Sto. Afonso, somos chamados por pessoas em situação de necessidade, e respondemos com generosidade e dedicação. Como papa Francisco recorda-nos, essa é uma urgente necessidade do mundo e da Igreja de hoje.

11. Durante este especial Ano de Promoção da Vocação Missionária Redentorista, o Conselho Geral decidiu iniciar um projeto que dará fruto nos anos futuros. Convidamos toda a Congregação, e é claro toda a Família Redentorista, a discernir conosco como dar resposta às urgentes necessidades para as quais nenhuma Unidade tem o pessoal necessário. Por isso, estamos desenvolvendo um banco de dados de confrades disponíveis e de outros que possam ser convocados para se engajar em projetos missionários específicos, comprometendo-se por um prazo breve ou longo. É um projeto desafiador, e estamos apenas no começo. Somo, porém, Missionários! Ouvimos a voz do Redentor: "Não tenhais medo; ide e anunciai a meus irmãos e irmãs... e lembrai-vos, estou sempre convosco, até o fim dos tempos" (Mt 28,10.20).

12. Prezados confrades, prezadas irmãs e irmãos no Redentor, nesta Festa da Fundação de nossa amada Congregação, desejo-vos todas as graças e bênçãos. Que Jesus Redentor vos encha da alegria e da esperança de vossa vocação missionária. Sejam quais forem os desafios, lutas e desapontamentos que encontreis, sabei que não estais sozinhos. Ele está convosco. Jesus chama-vos pelo nome (1Rs 3) para proclamar o ano da graça do Senhor (Lc 4,18).

13. Cheios do poder do Espírito Santo, acompanhados por Maria, nossa Mãe do Perpétuo Socorro, e apoiados pelas preces de Sto. Afonso, S. Geraldo, S. Clemente, S. João Neumann e de todos os nossos santos mártires e testemunhas, que possamos proclamar corajosamente o Evangelho sempre de novo.

Boas festas!

Seu irmão no Redentor,

Michael Brehl, C.Ss.R.

Superior Geral.

 

Beatificação de seis  Redentoristas espanhois, que foram martires

 

No domingo (13) às 12h, na Arquidiocese de Tarragona, Espanha, será oficializada a beatificação de 522 mártires da Guerra Civil da Espanha (1936-1939). Entre estes, seis Redentoristas, Mártires de Cuenca: Padres Javier Gorosterratzu Jaunarena, Ciriaco Olarte Pérez de Mendiguren, Miguel Goñi Áriz, Julián Pozo Ruiz de Samaniego, Pedro Romero Espejo e o Irmão Victoriano Calvo Lozano.

A beatificação será um evento histórico, não apenas para a Província de Madrid e a Igreja na Espanha, mas também para toda a Congregação do Santíssimo Redentor.

O caminho para a beatificação foi iniciado com a promulgação do Decreto sobre o Martírio dos Servos de Deus, pelo então Papa Bento XVI no dia 20 de dezembro de 2012.

 

Retrato comemorativo pintado por Belém del Pino da Universidade Complutense de Madrid

Retrato comemorativo pintado por Belém del Pino da Universidade Complutense de Madrid

 

A Guerra Civil Espanhola fez aproximadamente 270.000 vítimas, incluindo soldados e civis. Muitos morreram por ações de guerra, mas muitos morreram também por represália, por doenças e pela fome. Aproximadamente 6.850 morreram como resultado direto da perseguição religiosa. Desses, 13 eram bispos e mais de 6.000 eram sacerdotes e religiosos. Entre eles, quase 1.000 já foram beatificados ou canonizados. Outros 2.000 casos estão em processo. Como se aproxima o encerramento do Ano da Fé, a beatificação destes 522 mártires celebra o testemunho do martírio como ato de confiança em nosso fiel Criador, como também de participação nos sofrimentos de Cristo.

Sem diminuir a importância do testemunho coletivo de todos estes mártires, a família Redentorista recorda de modo particular os Mártires Redentoristas de Cuenca. Outros quatorze casos de Mártires Redentoristas estão ainda em processo.

O testemunho dos mártires tem sido sempre muito importante e significativo para a Igreja. Os primeiros discípulos de Cristo consideravam o martírio como seguimento radical dos passos de Jesus, e como partilha dos seus sofrimentos, conforme São Pedro expressa na citação da sua I Carta. O testemunho dos mártires vai além do gesto de enfrentar uma morte violenta. Manifesta a razão pela qual eles estavam dispostos a dar suas vidas como testemunhas de Jesus Cristo e a anunciar a Copiosa Redenção a todos. O martírio é uma proclamação da Boa Nova e os mártires tornam-se testemunhas do Evangelho, e continuam “fazendo o bem” em favor dos irmãos e irmãs.

Ao descrever essa realidade que envolve a beatificação dos missionários mártires, o Superior Geral da Congregação do Santíssimo Redentor, padre Michael Brehl pediu que todas as comunidades sob a responsabilidade de redentoristas, dediquem no dia 13 de outubro algum momento de oração e comunhão com os novos irmãos beatificados.

A celebração da beatificação acontece na proximidade da comemoração dos 150 anos da chegada dos Missionários Redentoristas na Espanha.

“Celebraremos como família a beatificação de seis redentoristas espanhóis, que morreram mártires em Cuenca durante a perseguição religiosa desencadeada na Espanha de 1936 a 1939″, destaca nota no site da Província Espanhola.

Cf: Site: http://omensageiro.org.br/noticias/seis-martires-redentoristas-serao-beatificados-neste-domingo/